domingo, 19 de fevereiro de 2012

Em dia de Rei Momo, a folia começou com vitória e G8 na Javari

19/02, sábado. Sábado de carnaval e um sol pra cada um da trupe reforçada, que faria novamente o caminho tradicional rumo à velha casa. Esperávamos uma folia semelhante a do último jogo, na goleada por 5 a 0 - mas era querer demais do nosso Moleque Travesso. Contra Grêmio Osasco, o Juventus perdeu diversas oportunidades para decidir o jogo ainda na primeira etapa e foi garantir uma vitória sofrida, por 2 a 1, tão saborosa, no entanto, quanto uma goleada. Mais um golaço na Javari permitiu ao clube entrar pela primeira vez no G8, com 11 pontos em 7 partidas e a 8ª colocação.

O Juventus de cara mostrou que vinha para ganhar a partida. Com o desfalque de Saulo, o meio ficou capitaneado por Élvis (10), que com toda responsabilidade e uma marcação forte, não conseguia desempenhar suas qualidades com facilidade. Ferreira mudara o esquema e foi a campo com duas linhas de quatro, 4-4-2 clássica, com Eduardo (5) e Lello (8) pelo centro de marcação. Agredindo bastante, numa cobrança de lateral de Pavone (6) para Élvis, este virou para Eduardo que achou Tony (2); o lateral, numa corrida de 5 metros, jogou a bola na frente e rolou para o meio da área, encontrado Douglas (9) para empurrar pro fundos das redes aos 11'. 1 a 0. Com domínio da partida, diversas chances foram criadas e duas, em especial, desperdiçadas inacreditavelmente por Thiaguinho (7) - a primeira numa arrancada pela esquerda, na frente do goleiro, apenas recuou num tiro impreciso e mal colocado; a segunda, após belíssimo cruzamento do camisa 10, dono do time, uma cabeçada fraca, nas mãos do goleiro. Enquanto isso, identificávamos uma falha no sistema defensivo - um buraco no meio-campo pela esquerda, que não tinha cobertura do volante Lello e era fonte das principais investidas do rival; Ferreira identificou logo o problema e transformou o sistema para o 3-4-1-2, com Lello, mal no jogo, para a sobra da zaga e deslocando o lateral Pavone para a volância esquerda; assim, Thiaguinho fez a ala, enquanto Romarinho (11), sumido na partida, compôs a dupla de ataque com Douglas - problema resolvido. A primeira etapa terminou com a nota preocupante da lesão na coxa de Élvis, que fazia uma partida simples mas eficiente e saiu para a entrada de Marcus Vinícius (16).

Podendo ter matado o jogo ainda no primeira tempo, o Juventus voltou com o mesmo 3-5-2, mas agora com  Reginaldo (13), zagueiro de ofício, na vaga de Romarinho. Buscando explorar os contra-ataques, o time grená continuou agredindo mas perdendo muitas chances de gol. O Osasco tomou gosto pelo jogo e por um período passou a mandar nas ações; Túlio (12) fazia boas aparições no gol e a zaga tinha bom comportamento, sobretudo na figura de Marcelo Xavier (4), que ganhava todas as bolas altas e baixas. Porém, numa confusão da defesa grená (o famoso deixa-que-eu-deixo) alguém, talvez o zagueiro Fubá (3), empurrou contra as redes, empatando. 1 a 1. O empate em casa seria péssimo resultado e com as 3 alterações já feitas, o treinador mostrou categoria ao avançar Xavier para a saída de bola no meio-campo. O time adiantou o jogo e voltou a assustar o rival. Desse modo, o lateral Tony, que já fazia bom jogo, passou a ser mais incisivo e se tornou peça-chave do ataque. Após bons avanços contra a meta de Yamada, numa bola recuperada na saída por Thiaguinho, Tony trouxe a bola para seu pé direito e num tiro do bico da área acertou a gaveta aos 36'. Golaço. Mais um na Javari. Esse pra garantir a vitória e fazer explodir uma torcida já agoniada com a peleja e o placar. 2 a 1. Com os 4' de acréscimo, restavam ainda 12' para o fim da partida. Com a vantagem, a defesa foi recomposta e o time aguardava uma bola para fechar o jogo. O contra-ataque não veio, mas também passamos o final do jogo sem sustos.

Final de partida, 3ª vitória em 4 jogos na Rua Javari e vaga no G8 pela primeira vez. O Juventus poderia ter tornado a partida simples, como contra o Osvaldo Cruz, sábado passado. Muitas chances de gol desperdiçadas (5 apenas com Thiaguinho), porém, tornaram as coisas perigosas. Uma boa partida, uma bela apresentação sobretudo na primeira etapa. O segundo tempo mostrou um poder de superação e garra importantes também para o decorrer do campeonato, para buscar o placar contra. A nota mais alta da partida deve ser atribuída para Tony Maraial, muito bom lateral e com excelente atuação mais uma vez; em seguida, o zagueiro Xavier, seguro, firme e de bom passe. Destaque também para dois que saíram contundidos: Douglas, atacante rápido e bom pivô e para Élvis, que apesar de discreto no jogo, mostra a cada passe categoria acima da média.

Próxima partida na Javari dia 29/02 (quarta-feira) contra a Internacional de Limeira. #ForzaJuve

Saudações juventinas!




Nenhum comentário:

Postar um comentário