quinta-feira, 25 de julho de 2013

Travessura convincente

24/07, quarta-feira. Na agenda uma viagem a Taubaté após 11 dias sem jogos. Como objetivo, somar mais 3 pontos e disparar na liderança do grupo 4 da Copa Paulista.

Missão bem cumprida. Com organização tática, qualidade técnica e muita disposição, o Juventus venceu o time da casa por 2 a 0 sem maiores problemas. Impondo-se em campo, uma partida que gera boas expectativas sobre o time de Celinho.

Numa estrutura tática parecida com a da primeira partida e mantida a linha de quatro na defesa (com Maurício Santos no lugar de Jader em relação ao primeiro jogo), o time veio com dois volantes mais marcadores (Paulo Henrique e Arthur, este estreando pelo clube) buscando repetir a intensidade dos quatro homens de criação e finalização na segunda etapa diante do Joseense. Sem Castori, vetado por contusão, Raikard entrou um pouco mais recuado do que de costume e dividiu a armação com Fernandinho e Branco. À frente, Pedro, que não disputaria a partida, mas surpreendeu a todos e entrou como titular.

Apesar de bem esquematizado, o time mostrou novamente assimetria e muito mais criatividade e perigo pelo lado esquerdo, com Fernandinho e Pedro. Deste lado foram criadas duas ou três oportunidades, uma delas, claríssima, mal finalizada por Branco em grande jogada de linha de fundo.

Enquanto isso, Raikard fazia atuação discreta ao lado de Branco. Mas como se as ironias que vivemos sempre seguindo o Juventus não bastassem, foi o garoto tão criticado que estufou as redes; em escanteio, a bola sobrou para Raikard - sim, ele, abençoado pela visita do papa - chutar de canhota e abrir o placar.

Administrando a partida, o time abaixou um pouco ritmo, por conta do gramado pesado e também para esperar contra-ataques. A partir daí, começou a se notar as ótimas atuações dos volantes - Paulo discreto e muito eficiente; e Arthur, com excelente tempo de bola e boa saída de passe.

A virada de tempo não mudou a postura juventina, que permaneceu tranquila e segura no jogo. Maurício Carvalho e Victor Sallinas anularam completamente qualquer chance de criação da equipe do vale da paraíba ao lado de Lucas Pavone, que defensivamente ao lado da dupla de zaga, realizou partida quase perfeita.

Celinho, na metade da etapa, optou por tirar Pedro e colocar Romarinho para explorar finalizações de longa distância. Mesmo chamando um pouco o adversário, a equipe manteve o controle e, numa saída espetacular de Sallinas da defesa, encontrou Fernandinho, que teve espaço aberto por Branco e, com um clarão na sua frente, finalizou e abriu 2 a 0 para o Juventus, marcando seu primeiro gol como profissional.

Para fechar o time, Renatão na vaga de Branco. Após algumas falhas do zagueiro recém-entrado, quase o Taubaté diminuiu a diferença, não fosse brilhante interceptação de Pavone.

Fim de jogo e vitória merecida. A equipe teve uma atuação convincente, sem dar brechas a dúvidas quanto ao triunfo.

A vontade do primeira partida esteve novamente em campo, mas dessa vez com mais futebol. Destaque sobretudo à segurança da defesa, à mobilidade da equipe, que conseguiu promover uma movimentação sem desorganizar o desenho tático e ao número de finalizações de média distãncia, quesito muito pedido há tempos.

Líder do grupo, sábado contra o Audax, agora o próximo objetivo é somar pontos e se estabelecer na ponta do grupo de vez. Então, até o Charco! #ForzaJuve

Saudações juventinas!

3 comentários:

  1. PARABÉNS! RESENHA DA PARTIDA MUITO BOA. DEU PRA VISUALIZAR BEM O OCORRIDO. VI O JUVE CONTRA O JOSEENSE E PARECE QUE O TIME ESTÁ SEGUINDO O PADRÃO DAQUELE JOGO: ENTREGA, COMPROMETIMENTO,BOA MARCAÇÃO E TOQUE DE BOLA RÁPIDO. TUDO O QUE FALTOU NA A2 PASSADA. COMO ESTOU FORA DE SP, NÃO DARÁ PARA ESTAR PRESENTE CONTRA O AUDAX. MAS DE LONGE ESTOU TORCENDO. FORZA JUVE!

    OTAVIO LIBERDADE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela presença aqui, Otavio.
      De fato, taticamente e no quesito entrega este time é 1000x superior ao do semestre passado, não há discussão.
      Sei como é, já estive longe da Javari e é difícil. Mas siga na torcida. Abraço.

      Excluir
  2. Certos fatos no futebol são inexplicáveis. Há tres estádios no quais o Juventus historicamente, se sai melhor do que na Javari: o de Guarulhos, o de Franca e, principalmente, o de Taubaté. E o estranho é que tanto em Guarulhos como em Taubaté a recepção à torcida juventina costuma ser sempre muito boa por parte das organizadas de lá.

    ResponderExcluir