quinta-feira, 3 de novembro de 2016

In Pompey we trust: a saída do inferno

O segundo semestre se iniciou cumprindo à risca aquilo que prometia: vantagem se acumulando pela Liga e avanços consecutivos pelas copas.

Entretanto, o período entre março e abril foi fatal para o clube em duas competições: derrota na final da Copa da Liga para o Wigan e eliminação na FA. Ambos tropeços, em menos de uma semana geraram um stress que refletiu na competição nacional, com quatro tropeços consecutivos.

Após uma parada para os jogos de seleção que voltou o fôlego da equipe. E em uma nova arrancada, a consolidação para o acesso e o título da divisão: 113 pontos em 46 partidas disputadas, e saldo de 62 gols. Média de 1,59 gols feitos por partida (segundo melhor) e 0,24 sofridos (melhor). 17 pontos de distância para o segundo colocado.

Ainda no final da temporada, a conquista da J Paint Trophy trouxe o segundo troféu, sobre o MK Dons em final disputadíssima.

Resumo da temporada 2013/2014:

  • 68 partidas / 52 vitórias / 13 empates / 3 derrotas / 99 gols feitos / 18 gols sofridos
  • Salário: 4.000 libras
  • Liga nacional (4ª divisão): campeão
  • J Paint Trophy: campeão
  • FA: eliminado na semifinal
  • Copa da Liga: eliminado na final
  • Prêmio de Manager do mês: 01/12
  • Prêmio de Manager do ano: SIM
  • Mais jogos disputados: Phil Smith - 58 partidas
  • Artilheiro: Serge Gnabry – 15 gols (Bellerin, Marcial e Ferry - 9)
  • Garçom: Anthony Marcial – 9 assistências (Craddock - 8 e Akpom - 6)
Com saldo positivo, cabe aos Pompeys festejar o alívio mas também se concentrar para a próxima difícil temporada. 

*InPompeyWeTrust

Nenhum comentário:

Postar um comentário