Pesquisar este blog

quarta-feira, 14 de setembro de 2022

Newell's: campeão argentino, sem libertadores e a chocante demissão

Os Leprosos não haviam conseguido bater o poderoso River Plate no ano anterior. Pelo contrário, além de ver o campeonato escorrer pelas mãos por apenas um ponto, o time da capital ainda conquistara a Copa Libertadores, maior obsessão do time de Santa Fé.

Na temporada que seria de aposentadoria de Scocco e Maxi Rodrigues, mais uma oportunidade era dada. Com reforços como Calleri, Sanchez Miño, Gabriel Neves e Pastore, um elenco mais profundo certamente era o primeiro passo.

O time-base, muito mais forte, foi formado por: Ochoa; Auro, Reyes, Moreno e Sanchez Miño; Cacciabue, Olivera (Pastore), Formica e Maxi Rodriguez; Scocco (Chavez) e Calleri.

O equilíbrio do campeonato nacional foi similar. O NOB foi vencendo os jogos pequenos e os jogos grandes, sem distinção. No esperado confronto, vitória contra River Plate, na vigésima rodada, com gol aos 85'. Jogo que encaminhou o título.  A taça foi erguida em Santa Fé, mas na casa do Unión, na rodada seguinte. Nas 23 rodadas: 20 vitórias, 1 empate e 2 derrotas - 76 gols feitos (melhor ataque) e 18 sofridos (segunda melhor, atrás do impressioante Racing - 12).

Reforço mais festejado, Calleri se consagrou artilheiro com 18 gols; enquanto Scocco, em seus últimos passos em campo, num papel de assistente, marcou 13 passes decisivos para gol.

O grande craque do campeonato foi Miño - o canhoto, conhecido pela polivalência no lado esquerdo do campo, foi sempre muito acionado ofensivamente e também representou um pilar defensivo para a conquista do título nacional. Para ele, foram 24 jogos, 1 gol e 9 assistências.

Entretanto, conquistar o campeoanato nacional pareceu irrelevante. Pela Libertadores, em sua fase de grupos, o Newell's conquistou 11 pontos e liderou em um grupo chato, diante de Grêmio, LDU e River Plate-URU. Aqui, Scocco se tornava herói, como principal artilheiro e passador do clube.

Entretanto, nem todos os sonhos chegam a se realizar: sumariamente, pretendendo mudar a filosofia do clube como um todo, Castro foi demitido. Em sua segunda passagem pela argentina, a segunda na cidade de Rosário e no clube alvinegro, o mesmo objetivo não foi alcançado - e a frustração é por sentir que agora estava muito perto...

Em duas temporadas, um vice-campeonato e um título argentino. 

Boa sorte ao Newell's Old Boys e aos apaixonados Leprosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário