quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Dia Glorioso


O dia começou cedo, eu, Celso, e Ricardo de Castro fomos à casa de um amigo para assistirmos o jogo do Brasil contra Holanda. O jogo terminou como todas já sabem vitória da Holanda, mas o acontecimento do dia ainda estava por vim.

Antes farei um breve comentário e colocarei vocês no contexto que estávamos para assistir o tal acontecimento. Era um “chualcool”, ou seja, um churrasco que tem mais cerveja do que carne. O churrasco estava acontecendo para as pessoas verem o jogo do Brasil pela copa do mundo de 2010. Após o vexame da seleção restou às pessoas ver o outro jogo que passaria logo mais, Gana e Uruguai.

Todos os integrantes do churrasco resolveram torcer pelo time africano, exceto os autores desse blog e um amigo. Para os que não lembram da partida Gana saiu na frente, com um gol de Muntari do meio da rua, usando, é claro, o poderoso e fatal veneno da bola Jabulani, e as pessoas do churrasco foram ao delírio. O Uruguai empatou no segundo tempo com Forlan batendo falta e aproveitando o fatal veneno que fora citado acima.

Ao sair o gol do Uruguai a vontade que tínhamos era de comemorar e explodir em felicidade, assim como ficamos quando nosso time faz um gol, porém estávamos na “arquibancada” do outro time, então ficamos quietos e continuamos a assistir ao jogo.

O jogo terminou 1 a 1 e foi para a prorrogação, e permaneceu lá e cá durante a prorrogação inteira. Até que Gana pressionou no final e conseguiu uma oportunidade de jogar a bola para área, no lance Muslera, goleiro do Uruguai, não saiu bem e a bola ficou pipocando na pequena área, foi quando o jogador de Gana chutou a bola espirrada e bateu em um zagueiro em baixo da linha, como se isso não fosse emoção o suficiente, a bola sobrou novamente para o jogador de Gana que cabeceou para o gol...

Nesse exato momento todos na sala já comemoravam a vitória de Gana, quando que por um milagre Luís Suarez coloca a mão na bola e salva o time do Uruguai, ele é expulso e sua atitude, até hoje, abre muitos parênteses para discussão se isso foi certo ou não, mas na hora, para os torcedores do Uruguai, que nesse caso era representado pela minoria naquela sala, foi à atitude mais incrível a ser tomada.

Mão na bola dentro da área é pênalti, e lá foi Gyan cobrar. Ele acerta o travessão e inflama os uruguaios, principalmente Luís Suarez que já estava a caminho dos vestiários, a cena do uruguaio indo em direção aos vestiários e comemorando o pênalti perdido entra para a história das imagens mais marcantes da copa.

A partida vai para as penalidades, e acontece o que é habitual nessas horas, jogadores fazem e perdem gols, porém na quinta cobrança o jogador de Gana perde o pênalti, e “Loco Abreu” era o próximo a bater, e como no final de um filme ele bate de “cavadinha”, fazendo um belo gol e nos levando a loucura e comemoração.

Naquele momento comemoramos o gol na cara da torcida adversária, foi uma das sensações mais gostosas do mundo, e essa é uma das sensações mais incríveis do futebol, naquele momento extravasamos a nossa felicidade pela vitória do Uruguai e não pela derrota de Gana, ficamos felizes e ponto, e assim que deve ser o futebol, saber perder e vencer, ser sensato para descontar sua raiva em um travesseiro ou em um objeto inanimado.

Para nós restou ficar ali, naquela situação que as pessoas estavam decepcionadas e nós, a minoria, com uma felicidade ímpar, e com a sensação de que vimos uma das melhores partidas de copa do mundo de todos os tempos e torcendo pelo time vencedor.

PS: Gostaria de agradecer e dedicar esse texto a seleção Uruguaia, que mostrou que muita raça compensa deficiências técnicas e ser campeã da copa América só coroa esse lindo trabalho dessa seleção.  

Um comentário:

  1. Vale comentar que apesar das burradas de Muslera na partida (ele saiu muito mal do gol no lance do penal) começou a se consagrar um mito (sim, Muslera, pra mim, já é um mito uruguaio) haja visto pegou dois penâltis na disputa final. #castorvoador

    ResponderExcluir