sexta-feira, 5 de agosto de 2011

A primeira, de muitas, excursões: só faltou a vitória

Sábado, 30/07/2011. A estreia fora de casa. Não, não a estreia do Juventus, mas sim da nossa torcida. Pela primeira vez, fomos à casa do adversário para apoiar nosso moleque travesso, contra o Audax. Agora, a trupe conta com 6 juventinos – os mesmos 5 da partida contra o Taubaté mais um reforço importante. Saindo da vila por volta das 13hs, encontramo-nos na Praça Vermelha rumo ao metrô Bresser – Eu, Celsinho, Renato e Bigão. Vinte minutos caminhando e sentido Barra Funda. Lá, juntos a Ronald e Luciano, a longa caminhada rumo à Marquês de São Vicente. Um bom trecho de caminhada. Chegando ao Nicolau Alayon, estádio do Nacional, e com ingressos comprados – R$4 -, agora era só torcer pelo Juve…
Desacostumados aos embates como visitantes, antes do início da partida um fato curioso aconteceu: invasão grená na torcida do audax – a nossa trupe ultrapassou alguns metros e sentamos no meio da torcida adversária, mas por unanimidade (e medo de apanhar) fomos para o outro lado do campo onde passamos o resto do jogo.
O jogo:
1º tempo: o Juventus começa sentindo-se em casa. Com a “invasão” grená no campo adversário, não tinha como ser diferente. Nem comandava as ações no meio-campo, mas nenhuma finalização levou perigo ao gol do Audax. Por outro lado, o mal posicionamento do sistema defensivo grená assustava, em especial pela péssima atuação do primeiro volante Fábio Duarte, camisa 5. Após duas jogadas realizadas pelo Audax em seu setor, era iminente o gol adversário, apesar da razoável apresentação juventina. E, num contra-ataque, o rival ficou livre para abrir o placar para o ex-PAEC. 0×1. O Juventus batia cabeça com o placar adversário. A sorte veio com uma penalidade cometida sobre nosso atacante. Luizinho (10) converte a cobrança e empata. 1×1.
Intervalo: Fora de casa = ausência de canolli. Em lugar disto, ganhamos um “presente”: a chuva.
2º tempo: Péssima atuação grená na segunda etapa. Karmino manteve a tradição de recuar o camisa 5 para a linha de zaga. Dada a péssima jornada do jogador, Nem veio cobrir o setor de cabeça de área; assim, além de não resolver os problemas defensivos, Nem ficou sem possibilidade de ações ofensivas. Resultado dessas alterações táticas foi a inoperância do ataque por todos os 45 minutos finais. A falha de Maurício Neneca num cruzamento, após demorada troca de passes do Audax, implicou o segundo gol adversário. 2×1. E, como após o primeiro gol, time confuso em busca do empate. No entanto, nas pouquíssimas chegadas do nosso ataque, mostramos uma péssima qualidade em finalizações de média e curta distância – impossibilitando qualquer reação. Placar final com derrota fora de casa.
Das 3 partidas em que marcamos presença, duas boas atuações, ambas dentro dos nossos domínios. Talvez tenhamos encontrado um padrão – em casa, podemos nos impor e colocar nossa postura perante o adversário, sempre em busca da vitória; fora, o time parece satisfeito com um empate e a derrota acaba sendo um resultado até que normal. O tempo parece demonstrar o espírito grená. Em jogos ensolarados, boas partidas em casa. Mas a chuva de hoje, chata, incômoda – típica paulistana, mostrou um Juventus sem gana pra vitória.  Temos a chance de reagir no torneio em casa agora – e a obrigação é de vitória. Destaque mesmo para nossa primeira excursão em campos rivais. É um avanço para a nossa pequena mas fiel torcida (ue ainda precisa de um nome!). Próximo passo é um viagem ao interior. Veremos então.
Ficha Técnica
Audax-SP 2 x 1 Juventus
Local: Estádio Nicolau Alayon, em São Paulo (SP)
Árbitro: Mauricio Antônio Fioretti;
Assistentes: Maria Andréia Pereira da Silva e Peterson Leão Rodrigues;
Cartões amarelos: Júnior, Heverton, Romario e Gustavo (Audax); Saned e Serginho (Juventus).
Cartão vermelho: Serginho (Juventus).
Gols: Gustavo Carvalho, aos 27′1T e Valdir Papel, aos 24′/2T (Audax); Luizinho aos 34′/1T (Juventus).
Audax: Rafael Defendi; Diego, Junior (Anderson), Heverton e Romário; André Andrade (Cesinha), Dhiego Souza, Gustavo Carvalho (Luan) e Juca; Valdir Papel e Rafael Martins. Técnico: Serginho
Juventus: Mauricio; Anderson, Cleber Luís e Saned (Celsinho); Fábio Duarte, Egon, Tavares, Nem e Pablo; Luizinho (Rodrigo) e Serginho. Técnico: Karmino Colombini
Próximo jogo é na Javari, contra o Corinthians, 03/08.
Saudações Juventinas!
DSC01970
DSC01962
DSC01963
DSC01961
DSC01965

Um comentário:

  1. Ricardinho,
    Comentário objetivo que reflete 100% da peleja. No ônibus até o metrô barra funda, lamentamos, e muito, o gol “feito”, que, na verdade, não era tão feito assim, perdido logo depois do segundo gol deles. Era a bola do jogo. Até a tia Jandira lamentou. rsrsrsrsrsrs
    Realmente precisamos de um nome, de camisas personalizadas e de uma faixa. Vamos lá trupe vamos providenciar.
    Quarta estaremos lá, em versão reduzida: eu, lu e renatinho.
    Abraços.

    ResponderExcluir