sábado, 8 de outubro de 2011

Em jogo de opostos, placar igual

Sábado, 08/10/2011. Dia quente, clima de satisfação pela estreia na 2ª fase. O primeiro adversário grená simbolizava exatamente a antítese do conceito de futebol tradicional da equipe da Mooca. O Red Bull é o símbolo do futebol moderno no estado, a quem um ódio mortal é dirigido pela torcida local - "Ódio eterno ao Futebol Moderno". Enfim, a Javari pedia uma vitória para começar bem no torneio. A trupe fez seu caminho tradicional, com Luciano, Ronald, Renato, Ricardo e Rodrigo.


1º tempo: Numa 2ª fase, o nível das equipes é certamente maior. E essa premissa foi visível em campo, numa primeira etapa equilibrada, técnica e tática. O Juventus encarou um 4-4-2 bem desenhado, com um quadrado no meio-campo rival, fazendo com que sobrasse sempre o camisa 10 do RB para armar sua equipe diante de nossos três homens de meio-campo. Porém, com a colocação do volantão Fábio Duarte colado no meia mais criativo, o grená tomou conta da partida, sobretudo nos pés do maestro Nem. Celsinho aproveitava para criar boas oportunidades no flanco direito enquanto Banega segurava tudo atrás. Mas foi numa escapada de Pablo que houve a melhor chance da etapa; ele avançou até a marca do penalti, limpou o zagueiro e chutou fraco, no corpo do goleiro. Bom jogo, equilibrado. No boxe, a contagem indicaria 10x9 para o moleque travesso.


Intervalo: A trupe mostrou-se, como em pouca vezes, satisfeita com a postura e com o jogo grená. A observação maior ficou com a marcação do bom Fábio diante do armador rival. Já que as discussões estavam tanto leves, hora de negociar o amendoim. Talvez numa estratégia de marketing, substituíram o tiozinho do amendoim por uma simpática senhorita, que conseguiu vender todo o amendoim. Com boa lábia, 4 pacotes por R$7,00. Grande negócio. Suficiente para alimentar um elefante. E vamos ao jogo.


2º tempo: Começo truncado, no entanto sob controle de Nem e logo, do Juventus. As ações ofensivas eram bem travadas pela defesa do RB, tanto pelo meio quanto pelos lados. O jogo parecia nos favorecer na expulsão do lateral adversário, por falta em Celsinho. Todavia, o time se perdeu com a vantagem numérica, com a forte chuva, além da catimba campineira e da moleza do juiz. Pior, o time caiu na armadilha adversária; após duas grandes defesas de Neneca, faltas e mais faltas rondando nossa área culminaram com uma cobrança no campo molhado enganando o bom goleiro. 0x1. O desespero e a falta de ações agressivas anularam boas tentativas grenás, que nem com um grandalhão na área conseguia alçar bons cruzamentos. E já com 46' no relógio, Pablo, aquele que perdera o gol feito, acertou uma cacetada no meio do gol, fazendo explodir uma Javari molhada e chateada. 1x1. Ainda tentamos uma virada, que não foi possível.


Pela circunstâncias finais, o empate foi bem-vindo. Claro, esperávamos a vitória em casa, obrigação, mas por conseguirmos já nos acréscimos, ficou "menos ruim". O Juventus conseguiu enfrentar uma equipe de divisão superior e investimento superior com muita qualidade. Entramos no campo sagrado com Maurício, Léo Cruz, Vinícius, Levi e Cléber Luis; Fábio Duarte, Nem, Luisinho; Rodrigo, Celsinho e Pablo. Destaques para Fábio Duarte, Banega, Celsinho e para  melhor em campo e dono do jogo, Nem. Pela atuação, merecíamos melhor sorte. A sorte será jogada agora contra o Velo, líder do grupo, em Rio Claro. Dia das Crianças, melhor hora para o moleque aprontar sem culpa. Voltamos à Javari dia 18/10, contra o Oeste.


Saudações juventinas!








Nenhum comentário:

Postar um comentário