domingo, 25 de março de 2012

Travessura fora de casa, golaço e a hostilização aos visitantes marcam uma viagem a Sorocaba

23/03, domingo. Manto grená por baixo das camisetas e pouco mais de 7 horas da manhã, com tempo frio em São Paulo, partíamos rumo a Sorocaba, por volta de 70 Km, à procura da vitória diante do São Bento. Viagem tranquila pela Castelo - com direito a parada para café da manhã - chegar a simpática cidade foi fácil. Pouco, bem pouco, mais difícil foi achar o estádio, desconhecido para o frentista interiorano. Portando um mapa temático da cidade, chegamos até o CIC - Estádio Municipal Walter Ribeiro. Tendo de dar a volta para o portão designado a visitantes, esperamos mais de 20' até o sossegaaaado policiamento chegar para a revista e permitir nossa entrada. Dentro do bonito estádio, a equipe grená já terminava seu aquecimento para descer aos vestiários e voltar para a esperada peleja.

Escalações anunciadas, onde está Élvis? Onde está Thiaguinho? Com ambos no banco, Ferreira leva um time mal escalado a campo e apenas corrigirá seu erro mais tarde (nas próximas linhas...). Com Túlio, Tony, Fubá, Reginaldo e Pavone; Eduardo, Santiago, Xavier e Saulo; Rafael e Fernando o time subiu a campo. E com apenas dois "grenás" nas arquibancadas, recebemos diretamente os cumprimentos daqueles que jogavam nossa viagem e esperança no campo rival. Aos poucos, a torcida juventina chegava com suas faixas e também iguais esperanças.

O primeiro tempo foi equilibrado. O Juventus aparecia bem com os laterais e o São Bento atacava pouco, mas o pecado ficava no meio-campo pouco criativo e dois atacantes inoperantes - as jogadas eram raras; a melhor oportunidade foi com Pavone em tiro de fora da área. Tiro que mostrou ao time que o goleiro adversário, Henao, era baixo e fraco tecnicamente (esperar o quê com esse nome). Élvis, nosso maestro de poucos jogos, entrou no lugar de Xavier, volante que saíra contundido antes do intervalo. No entanto, não houve tempo para o 0 a 0 sair do placar. Élvis que não fez uma partida brilhante, mas sempre mostra uma grande capacidade de controlar a bola, abrir o jogo; ou seja, mesmo numa performance mediana, nota 6,5 para ele.

O segundo tempo chegou com a entrada de Thiaguinho no lugar do horrível Fernando. O camisa 18 imprimiu velocidade à equipe, como sempre, mas nada que chegasse ao gol. O time do São Bento teve seu momento na partida, encurralando o time da Mooca e parando no excelente Túlio e nos inspirados Fubá e Reginaldo. Espanando tudo, demorou um pouco até que jogo se acalmasse. A partida já caminhava para o empate, horrível para o Juventus, até que numa escapada do veloz Thiaguinho pela esquerda, após o drible recebeu a alavanca e conquistou o penalti. Ele mesmo foi para a cobrança, sob os olhares dos torcedores aflitos e não sob olhar da dupla de zaga, ajoelhada sobre a linha do meio-campo. Com força e a meia altura, bola na rede e 1 a 0. Tentando segurar a partida, Élvis foi expulso injustamente e deixou o Moleque com 1 a menos; mas a experiência do camisa 10 (hoje, 16) foi determinante, catimbando "à argentina" ao sair pelo outro lado do campo e enervando ainda mais o acuado time de Sorocaba. Último lance. O goleirão adversário vai a área buscar o empate e... bom, a essa altura todos já sabem que Thiaguinho, no contra-ataque, meteu um gol do meio-campo, inesperado - inesquecível. Pra explodir a torcida, que desceu a arquibancada para comemorar perto dos jogadores, que também vibravam demais, com destaque para o sempre contagiado e contagiante Fubá! A empatia entre time e torcida, a vibração, a demonstração de orgulho com a vitória são fatores que ainda deixam que a chama da classificação para a próxima fase permaneça acesa...

2 a 0, uma vitória fora de casa: Ufa!

Saindo do estádio, fomos surpreendidos com a hostilização da torcida rival, que nos xingava por portarmos nosso manto pelo arredor do estádio. Quase fugidos, demos a volta no quarteirão, evitando o contato com os nervosos perdedores. Escondendo as camisetas sob a roupa, chegamos ao carro inteiros e seguros, e de volta para casa pudemos cantar nossa vitória e nossa viagem bem-sucedida. Fica mais um jogo pra nossa história: o dia do gol do meio-campo, o dia em que meu pai desceu as arquibancadas mancando, com um corte na perna, mas emocionado com o gol, o dia em que fomos os visitantes hostilizados em Sorocaba.

Nesta quarta, dia 28/03, vamos à Javari buscar a vitória e sonhar com o acesso. Precisamos do triunfo e da presença da torcida para seguirmos, às 15hs. #ForzaJuve


Saudações juventinas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário