domingo, 8 de abril de 2012

Voltaremos, voltaremos... Grazie, San Gennaro!

08/04. Domingo. Páscoa, ovinhos de chocolate e Javari. Manhã em que só San Gennaro pra operar o milagre de conquistarmos a vitória e conseguir a combinação necessário. Mas, ah, minha gente, Mooca é Mooca e tem coisa que só aqui...

A manhã diferente e a expectativa da classificação fez com que 1358 pessoas fossem à Javari. Contra um Capivariano desfalcado e já classificado, o Juventus perderia apenas para si próprio. Com um 4-2-2-2 (Túlio; Tony, Fubá, Reginaldo, Pavone; Eduardo, Santiago, Romarinho, Élvis; Douglas e Rafael) o time foi a campo seco pela vitória e logo mostrou quem mandava (e sempre mandará) no Conde Rodolfo Crespi. A bola era de Élvis, o maestro, e o jogo era com Tony Maraial. Inspirado, o lateral jogou na primeira etapa o futebol que a torcida conhece e garantiu os primeiros gols. Num escanteio, Élvis cobrou na primeira trave e Fubá, sempre ele, resvalou pra abrir o placar. 1 a 0. Não demorou para que o lateral Tony voltasse a apostar na sua velocidade e, em jogada individual, engolir seu adversário e empurrar de canhota. 2 a 0.

Administrando a partida, a bola era de Élvis. Alguns dizem que ele não joga, se omite, não decide. Mas é dele que surgem as jogadas diferentes e o ritmo da equipe. Tranquilo, o Juventus foi para o intervalo depois de boa apresentação. No entanto, só a vitória não bastava e ainda precisávamos secar os rivais diretos...

Durante a segunda etapa, um time mais cauteloso foi a campo. O forte calor e o placar suficiente ditaram o ritmo do time grená, que apostava em contra-ataques. Sinal mais claro foi quando entrou Thiaguinho, sinônimo de velocidade na frente. Só que sem eficiência, o 2 a 0 se arrastava, diferente da festa nas arquibancadas, que não parava de cantar, apoiar, empurrar. Já depois dos 40' que a goleada foi construída: em novo escanteio de Élvis, Fernando bateu de esquerda, forte, para o fundo das redes. Mais um gol do irregular atacante que, bem ou mal, vem deixando a sua marca quando entra na Javari. E novamente ele, depois de arrancada de Thiaguinho, ele pegou a sobra e chutou com gosto, pra ratificar a festa que se fazia no banco de reservas, que já a classificação estava garantida. 4 a 0.

Muita vontade e disposição e um grande primeiro tempo marcaram a vitória. Belíssima partida de Élvis, camisa 10; de Tony, excelente lateral, melhor em campo; e de Santiago, que vem entrando em forma e é o pulmão do meio-campo grená. Destaque também pra Maurício (Neneca), ex-goleiro da casa, que foi muito simpático com a torcida e, cá entre nós, deu aquela força no segundo gol; além disso, sorria olhando pra bagunça da torcida... sensacional.

Enfim, e a festa tomou conta do Templo. Sem palavras, apenas choro, música, silêncio, felicidade. A esperança em San Gennaro não falhou e a ressureição do Moleque pode ter começado em plena Páscoa. Vamos rumo ao acesso, buscando agora três vitórias em casa e os empates fora. É possível. Enfrentaremos Guaçuano, Osasco e Marília. Voltaremos, voltaremos. Com esse espírito, como o do dia contra o Taboão ou contra o São Bento, com certeza. #ForzaJuve


Saudações juventinas!




Um comentário:

  1. Muita festa hoje na Javari. Ainda não consigo dormir pela emoção de ver meu Juve nas semi-finais e a tres vitórias da saída do inferno. abraço ao blog

    ResponderExcluir