quarta-feira, 4 de julho de 2012

05 de março de 2008. O milagre na Copa do Brasil.

27 de fevereiro de 2008. A estreia. Estádio Gérson Amaral, Coruripe, Alagoas Após um 1º tempo equilibrado, o Coruripe saiu na frente em seus domínios com Léo Macaé. Na volta do segundo tempo, nem 7 minutos para que Valdir empatasse e construísse um bom placar. Aos vinte, no entanto, o drama: Nilson Sergipano, Edson sá e Ivan marcaram o 4 a 1 que transformariam uma virada na Javari em um milagre. A equipe: Marcelo Moreira; Dedimar, Cazaroto, Anderson Luiz, Valdir, João Paulo; Rafael, Allan Delon (Marcus Vinicius), Márcio Senna (Vampeta), Fernando Diniz (Cadu); Lima. Técnico: Márcio Bittencourt.

05 de março de 2008. O milagre. Estádio Conde Rodolfo Crespi, Mooca, São PauloUma das maiores travessuras do nosso Moleque. E que arrependimento de não ter comparecido ao Templo. O Juventus saiu na frente com Dedimar, mas logo veio o empate dos nordestinos. Um balde de água fria. Mas nunca duvide da mística grená - o segundo tempo mostrou um time avassalador: Lima, Anderson Luiz e Kanu. O 4 a 1 que igualou o placar da viagem. Pênaltis à vista? Ou não. Kanu foi às redes aos 43 minutos e decretou o 5 a 1 da classificação. Da história. Do milagre. A equipe: Marcelo Moreira; Valdir (Vágner), Dedimar, Anderson Luiz, João Paulo; Fernando Miguel, Naves (Vampeta), Kanu, Allan Delon (Ludemar); Lima e Cadu. Técnico: José Carlos Fescina.


A segunda fase da Copa do Brasil colocou o Moleque frente a uma potência nordestina: o Náutico. Por determinação da Rede Globo, o jogo em São Paulo teve de ser disputado à noite e a Javari se mostrou incapaz para tanto. Mesmo longe dos domínios e de sua força, em Santa Bárbara D'Oeste, o Juventus bateu  o Timbu por 2 a 0, com gols do centroavante Lima (que hoje faz sucesso no Braga, de Portugal - foto abaixo). A vantagem, no entanto, não foi suficiente no jogo de volta: abafado pela torcida pernambucana dos Aflitos, o time cedeu ao adversário o 0 a 3, que nos tirou da competição e do sonho de Tóquio.

O manto da Copa do Brasil: com auxílio da pesquisa do blog Manto Juventino (visite aqui) de Hamilton Kuniochi: "A camisa da Copa do Brasil de 2008 era da Finta com detalhes brancos, patrocínio Andra Materiais Elétricos na frente e Phelps Dodge nas costas". "(...) O toque que contrariava parte das arquibancadas era o escudo no centro da camisa, ao invés de ficar do lado esquerdo do peito". 


Desde então, o Juventus não mais voltou à Copa do Brasil, por não mais vencer a Copa Paulista e tampouco por estar na 1º divisão do Paulista. Logo, a conquista da FPF2012 pode representar o retorno ao torneio e permitir mais algumas travessuras.

2 comentários:

  1. Vampeta foi decisivo para a virada na Javari, contra o Coruripe.
    O jogo contra o Nautico, pela segunda fase, foi em Santa Barbara porque a Globo exigiu que o Juventus jogasse em um estádio com iluminação, pois aquele era o único jogo que eles poderiam transmitir para o Nordeste.

    ResponderExcluir
  2. A ironia de ter que buscar um estádio com iluminação disponível e com aluguel barato é que os patrocinadores da Camisa juventina, naquela Copa do Brasil era um fornecedor de material elétrico.

    ResponderExcluir