domingo, 8 de julho de 2012

Mais um capitão de sáida? A situação de RvP nos Gunners.

O comunicado que segue algumas linha abaixo estremeceu a relação entre Arsenal - Robin van Persie - torcida. Na vigência de seu último ano de contrato, Robin anunciou a decisão de não renovar com o clube em que joga desde 2004. Isso gera uma série de questionamentos não só à atitude do jogador como ao atual cenário de ambições do Arsenal  e é isso que trataremos a partir de agora.

De fato, o clube mostra nas últimas temporadas objetivos pequenos. Longe de grandes disputas e há 6 anos sem títulos, hoje se questiona - e muito - o estilo Wenger de gestão. A aposta em jovens vem se mostrando infrutífera à medida que os rivais apostam tanto quanto em jovens e vêm obtendo melhores retornos (o que dizer de Walcott perto de Modric, Juan Mata e Chicharito, por exemplo). Além disso, a própria falta de títulos provoca não só a resistência de bons jogadores para chegar ao time, como um êxodo dos grandes jogadores da equipe, vide os 4 últimos capitães: Vieira, Henry, Gallas; além do caso mais recente: Cesc Fàbregas. Robin pode ser o quinto da lista. E dependendo do seu destino, o mais cruel.

Fàbregas saiu para seu clube de infância, para retornar a sua casa e amigos. Isso amenizou a perda de um ídolo. O holandês, já, tem sondagens de Juventus e City. Uma saída para a Velha Senhora não seria tão dolorida - um país diferente, sem rivalidades; mas uma transferência para os citizens custaria sua idolatria no clube e o carinho da torcida - Robin passaria de um deus a um mercenário desprezível. Exatamente, radical assim. Admite-se uma proposta risível dos italianos de 8 milhões de libras a um eventual caminhão de dinheiro vindo de Manchester. Tudo pra manter Robin na galeria de ídolos.

E essa decisão só pode ser tomada por van Persie. Ele decidirá o seu futuro e o que ele pretende significar para aqueles que o amaram por 8 anos, que o tomaram, novamente, por deus. Pensar em títulos, alçar objetivos grandes e Champions League é absolutamente justo - principalmente porque não se encontra isso no Arsenal. A perspectiva depois de ver Nasri e Cesc ganharem títulos e ficar com os gunners mais um ano na fila é horrível para ele - como também deveria ser para o clube. Querer ratificar sua carreira, confirmar o status de atacante de primeira linha é procurado desesperadamente pelo holandês. Esse é o dilema.

Enfim, é difícil julgar Robin van Persie. É difícil vendo o destino de quem saiu e a estagnação do clube. Sabendo que os objetivos seguem pequenos e que os rivais estão cada vez maiores. Robin tem o direito de lutar por sua carreira - mesmo que isso signifique deixar o lugar que diz amar. E por que desconfiar que de fato ele não ame o clube? Às vezes deixar seguir livremente, sem laços, possa ser o maior sinal desse amor. Só saberemos o que o Arsenal significa para van Persie nas próximas semanas, quando seu futuro será decidido. Por enquanto, além do depoimento, apenas especulações. Neste tempo, também aproveitar o momento para refletir o fato de grandes jogadores preferirem sair porque querem vencer. O Arsenal é um gigante e deve voltar a se portar como tal, para que não se questione mais uma vez a "evertonização" vermelha e branca.



"Vim aqui atualizar os fãs sobre minha situação no clube. Me calei por todo esse tempo por respeito e lealdade ao clube e ao acordado entre o Sr. Gazidis, Sr. Wenger e eu, mas já que a mídia não para de falar sobre o assunto, acho que é justo falar a todos o que acontece de verdade. Como amplamente anunciado há alguns meses, eu me reuni com o Boss e o sr. Gazidis ao fim da temporada. Era uma reunião sobre a estratégia para o futuro do clube. A parte financeira do meu contrato não foi sequer discutida, já que essa não era minha prioridade. Eu tive, pessoalmente, uma temporada muito boa mas meu objetivo sempre foi ganhar títulos com o time e trazer o clube para dias de glória. Por causa do imenso respeito que possuo pelo Sr. Wenger, meus colegas e por vocês, não entrarei em pormenores mas, nessa reunião ficou claro para mim que há uma discordância entre como diretoria e eu vemos que o clube deve ser dirigido. Pensei por muito tempo e decidi não renovar meu contrato. Vocês, fãs, tem todo o direito do mundo de discordar e eu respeito isso. Amo esse clube e seus fãs, não importa o que aconteça. Cresci e me tornei um homem com o Arsenal FC. Todos no clube sempre me apoiaram ao longo desses anos e eu sempre fiz o possível e o impossível em campo e fora dele. Tenho muito orgulho de ter feito parte disso tudo nos últimos 8 anos. Assim que o Sr. Gazidis voltar de suas férias nos EUA, nos reuniremos e eu os atualizarei com novidades." 
Robin van Persie

Nenhum comentário:

Postar um comentário