quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Conte enquanto há dedos: já são 8. Vamos reagir, cazzo!

27 de fevereiro, quarta-feira. Sem poder estar junto ao Moleque Travesso nessa partida, passei o jogo num misto de alegria e agonia. Durante a aula de "Projeto de Barragens" e sem acesso à rádio, fui acompanhando pelo juve.com.br - a alegria da vitória durou a aula toda, que acabou simultaneamente aos já 35' da segunda etapa na Barra Funda. O final da aula deu lugar à agonia da volta pra casa sem saber o resultado da partida. E por aqui, 2 a 1, ouvir sobre a derrota amarga para o Audax. Que me deixa incrédulo até agora, enquanto escrevo as próximas linhas.

Sejamos justos, não são minhas linhas. Hoje quem chuta a bola pro mato com um ótimo texto é meu amigo Rodrigo, que acompanhou o jogo em grandes detalhes. Confiram:

Apesar da ausência de Élvis, machucado, Serrão lançou um time ousado, com destaque para a reintegração de Lucas Biselli. Com apenas Paulo Henrique como volante de formação, Paulo Santos jogava a sua frente com Branco e os três formavam o meio-campo mais destrutivo e que iniciava a armação. No ataque, Biselli, Cláudio e Magalhães. Lá atrás, destaque para o retorno da dupla Fubá e Xavier, compondo a primeira linha com Diogo e Franklin.

No 1º tempo, blitz grená com o trio ofensivo marcando muito em cima, não sobrecarregando o meio-de-campo. Aos 10', gol de Biselli, refletindo essa postura agressiva. 0 a 1. O time do Juventus permaneceu superior durante a maior parte do tempo, com boas chances. E o cenário ainda melhorou: o jogo deixou o Juve com um homem a mais após agressão do jogador do mercadinho, expulso.

No 2º tempo, algumas boas chances de gol não convertidas. Com a substituição de Paulo Henrique (contundido) pelo fraco Fábio Gomes, o time se expôs demais defensivamente, já que não havia mais um jogador forte na marcação. Com o cansaço e alterações forçadas (Diogo por Getúlio e Magalhães por Luciano "cansado"), o Audax dominou a partida mesmo com um jogador a menos. O empate era questão de tempo. 1 a 1 e mais dez minutos para segurar o placar - ou até revertê-lo. No entanto, a lesão de Cláudio com já três substituições feitas deixou o Juve em patamar de jogadores com o rival e cada vez mais dominado (ele seguiu em campo, mas sem condições). Não deu outra - 2 a 1 para o ex-PAEC.

Destaques positivos:
- Xavier, Lucas Biselli e Paulo Henrique na formação titular;
- O bom entrosamento de Magalhães com Biselli;
- A postura de Xavier, novamente soberano na defesa. Aos 44' salvou bola sob as traves, impedindo até então a virada.

Destaques negativos:
- A insegurança de Juninho, que apesar de boas defesas mostra falhas, como as saídas de gol;
- Sequência de lesões - o questionado preparo físico deixou Élvis de fora e acabou com as pretensões de substituições de Serrão, com Paulo Henrique, Magalhães e Cláudio saindo por contusão;
- Fraco marcador, Fábio Gomes como único volante expôs demais a equipe e chamou o Audax pra cima;
- Luciano é um destaque negativo naturalmente.

Foi o 8ª derrota em 11 jogos - a 4ª consecutiva no torneio. E a 2ª de Serrão pelo grená. Agora, buscaremos a reação no sábado contra a Catanduvense, na Javari. #ForzaJuve

Saudações juventinas!

Um comentário:

  1. Novamente ,parabéns equipe Bola pro Mato pela excelente narrativa da peleja .
    Parece redundância , mas Fábio Gomes novamente provou que não tem condições de vestir a camisa grená , pois é muito fraco ; Alerta vermelho na preparação física que no 2º Tempo acabou e não dá para perder tantos gols num jogo só . Concordo nos pontos positivos com Lucas Biselli e Xavier e Paulo Henrique . Ainda continuo otimista !!!! Forza Juve !!!!!

    ResponderExcluir