sábado, 2 de fevereiro de 2013

Incompetência + covardia = vexame. E ainda me falam de arena...

Sábado, 02 de fevereiro. Manhã de sol forte na Mooca, de derrota e de algumas questões: Onde estaria Lucas Biselli, fora até do banco? E Jean, garoto promessa da base? E o sempre esforçado Romarinho, por que não tem espaço na Javari e teria em Americana? E Pedro, artilheiro da base, não serve pra entrar num time como esse? E Luciano e Getúlio: isso é sério? E (apesar de gostar também do Juninho) por que barrar Túlio, que salvou a gente de uma surra em Araraquara: a culpa do gol depois de uma retranca sem vergonha foi dele por acaso?


Perguntas, perguntas... e um incompetente para responde-las. Ou não, afinal da covardia de um treinador como o nosso ilustre Claudemir, não se espera muita coisa. Nem muitas respostas.

Entrando na Javari e lendo a escalação, tive uma boa expectativa. Novamente no 4-2-3-1. Como novidades, Paulo Henrique como volante ao lado de Paulo Santos, tentando uma melhor saída de bola. Pelo lado esquerdo, em lugar de Biselli, a estreia de Marlon (ou Ataliba). Pela direita, Rafael Branco. Rafael que até a expulsão boba de Corte, lateral esquerdo, era o melhor em campo. Perfeito taticamente, ainda era quem mais arriscava as jogadas. Porém, a expulsão mudou tudo.

Note como os volantes estão distantes de Élvis - problemas na armação

Téssio entrou na lateral para recompor a defesa, sacando Marlon. Com duas linhas de quatro atrás da bola (4-4-1), o time acabou. Magalhães se isolou, sempre contra 3 ou 4 zagueiros. E a aposta seria nos contra-ataques.

Logo no começo da segunda etapa, gol do Velo. Élvis foi até o fundo para marcar, mas não bloqueou o cruzamento fatal. Sem capacidade e atitude de dominar a partida, o melhor até então cansou e Rafael ficou sem pernas. A bola batia e voltava, Magalhães não conseguia segurar a bola na frente. Vaiado, Claudemir bem que tentou se eximir de responsabilidades: jogou a culpa em Rafael, tirando o camisa 9 para entrada de Tuta. Brilhante, Claudemir foi adepto do "6 por meia dúzia". O que isso ia melhorar? Um cara de 38 anos, que ficou na sombra e não correu mais de 300 metros.

Para mostrar a bagunça do time de Claudemir, o principal armador era Téssio. Patético, né? Élvis corria corria, mas não era sua melhor manhã. Getúlio, ao mesmo tempo, mostrava todo seu vigor, técnica e vontade na lateral, sob as entusiasmadas orientações de "vamo, pô" do seu treinador. Para colocar a chamada "pá-de-cal", o matador Luciano, faltava ele.

Fosse só burro, mas é covarde. Quem mais se manifestava no banco era Túlio, inconformado não apenas com a sua situação mas com a postura da equipe.

1 chute a gol. Um mísero chute. Esqueceram que Giulliano estava na meta do time rioclarense, um consagrado frangueiro com passagem pelo time grená ano passado.

A melhor chance, pra ter ideia, foi do goleiro Juninho, que subiu desesperado para o cabeceio e quase faz um gol que mudaria o placar, o ânimo. Mas não tiraria a comissão técnica da berlinda.

A manifestação das arquibancadas no segundo tempo já determinou dois lados antagônicos. Já se entendeu que seu tempo se esgotou. Ao menos de uma atitude dos perdidos diretores, o Juventus volta para a A3. Sério.

Essa próxima quarta vai pegar fogo. Compareça, dê um gato no trabalho, na escola. Arranje um atestado, diga que vai visitar a sogra! Precisamos de vozes e paixão para colocar, de algum jeito, o Moleque no caminho certo. #ForzaJuve

Saudações juventinas!

4 comentários:

  1. Claudemir parece que treinou o time durante 50 dias pra nada. Falta raça, amor a camisa, qualidade técnica de muitos jogadores. O Jean da base parece que vai ser negociado com o internacional-rs. fui em todos os jogos da copinha e achei um ótimo zagueiro, tem raça. Pedro Rocha teria espaço nesse time e romarinho faz muita falta, muita mesmo.

    ResponderExcluir
  2. O Claudemir precisa de menos gel e mais neuronios na cabeça oca dele.

    ResponderExcluir
  3. Mais neurônios também na cabeça do diretor de futebol e de toda diretoria executiva!
    Que só demonstram rapidez e competência pra enrolar a torcida com projetos hilários de arena e hotel,fazer média
    com o zé medalhas e outros,implicarem com coisas pequenas para atrapalhar o lançamento do livro da história do C.A Juventus,demora no contrato da Umbro,em consequência, já estreou à quatro partidas e até agora só vemos vestida nos jogadores e em fotos das redes sociais e isso sem falar que o planejamento do futebol profissional inicia sempre faltando dois meses ou menos ,de começar os campeonatos,e o resultado nem precisa dizer ,que todos já sabem !
    E Forza Juve,é o que mais vamos precisar daqui pra frente! Abçs Peninha

    ResponderExcluir
  4. Via Recife , acabei de assistir o VT do jogo neste momento e percebi em sua entrevista dada no intervalo , o nosso técnico ( se podemos chamá - lo assim ) está totalmente perdido e sem a mínima noção da situação e sem nenhum comando com os jogadores . Do jogo em si , sem comentários !!!!!
    Horrível !!!!!!!!!!
    Forza Juve !!!!!

    ResponderExcluir