domingo, 8 de dezembro de 2013

46664

Da enciclopédia completa de um esporte outrora popular e puro - quase mitológico - encarnada na figura simples de um lateral-esquerdo, o qual viveu a estrela solitária e hoje é mais uma estrela a brilhar no céu.

Passando por Pedro Rocha, ídolo do São Paulo e do Peñarol, onde conquistou três Libertadores. Clássico. Até um contraponto de que uruguaios jogam apenas com raça.

E por fim, Madiba. Frases voam ao vento em tempos como esse, repercutindo como nunca dantes. Merecido. As palavras de paz e a luta de Mandela são símbolos de uma resistência passada. No entanto, também bases de um futuro melhor. 

A terra perde símbolos, cada um a seu modo, de tempos que não voltam mais. 

“As manobras dos partidos políticos majoritários para conquistar o poder, particularmente nestes tempos incertos de mudanças, provocam grandes divisões no povo. Nós acreditamos que a liberdade e a verdade triunfam quando a alegria, a unidade e a dignidade são os denominadores comuns de uma sociedade. O Partido do Futebol defende o desenvolvimento de uma nação unificada sobre uma plataforma de proposições que venham do esporte, da música e das artes. Estes domínios colocam de lado as divisões políticas e tocam as pessoas na vida cotidiana. Eles criam otimismo, espírito, confiança e unidade. Uni-vos em torno de seus interesses comuns!” (Nelson Mandela)

Nenhum comentário:

Postar um comentário