domingo, 16 de março de 2014

Um perigoso novo horizonte

Sábado, 16 de março. Mais de 500 milhas de viagem, 15 horas fora de casa. As profecias de Tião, a bateria arriada, a blitz ignorada. Nem o desmaterializado Vanderlei... nada foi o bastante.

Toda loucura, todo amor de seguir uma camisa. Todo aprendizado na viagem é o que fica da passagem por Novo Horizonte.

Se nosso caminho foi longo, imaginem a viagem que esta equipe está desenhando fazer, levando um clube quase centenário aos porões da quarta divisão?

A derrota para um time superior não é o problema. O 3 a 1 foi nada frente a apatia e falta de reação. E à ignorância dos caciques aos apelos desesperados de alguns torcedores por um mísero atacante que seja.

Uma frustração que pode ser maior e levar ao desconhecido muito perigoso.

A atenção do bruxo de Leme no fim do jogo, que seja ouvida e colocada em campo.

Quarta-feira apenas a vitória nos manterá na briga. A hora é essa e nenhuma mais. #ForzaJuve

3 comentários:

  1. Inspiradíssimo!!
    Eu ainda acredito! 4a será foda mas temos forza....
    O que aconteceu na viagem que pode ser levado como aprendizado? pode falar?
    Danilo

    ResponderExcluir
  2. Vanderlei, o espirito guardião do Templo.18 de março de 2014 11:05

    Não ele não pode falar, pois, sob juramento, ele sabe que o que ele ouve em expedições juventinas é só para iniciados.

    ResponderExcluir
  3. aprendi de onde surgiu o chupa cabra

    ResponderExcluir