domingo, 17 de agosto de 2014

Cap VII: Juventus 1 x 1 Osasco

Um massacre sem vítimas. O Juventus agrediu o Osasco e parou em um excelente goleiro e na miopia de Osman, Roninho e cia. Mais de 10 finalizações e a vitória - a puta vitória que não chega! - fica na fila. Seguimos fora da zona de classificação. Geová e Rodrigo parecem satisfeitos e certos de que a partir do momento que a bola entrar, o time embala. Mas o arranque ainda está como um motor à álccol no tempo frio. Esperamos o outro domingo, mais uma vez. #ForzaJuve

Um comentário:

  1. Terceiro jogo que assisto e as coisas se repetem: Juventus é um time organizado. Marca muito bem. Mostra agressividade. Cria muitas chances de gol mas tem uma tremenda vocação para perde-las. Chega a cansar a torcida. O técnico tem que trocar algumas peças. Nós, da torcida, temos nossos favoritos, mas há coisas entre o vestiário e o gramado, que a nossa vã filosofia sequer supõe imaginar. Afinal, Copa Paulista é um torneio de formato agradável, historicamente favorável ao Juventus, mas não vale nada. Presta apenas pra testar jogadores e dar corpo ao "team" portanto acho que tem que deixar o Rodrigo continuar a fazer seu trabalho. Outro fato constatado: Três dos vários gols que perdemos foram culpa do péssimo estado do gramado, pois no momento final o tal do "morrinho" ou do "buraquinho" desarmaram nossos atacantes. Por fim, arbitragem não influenciou em nada mesmo esse resultado embora a moda na Javari seja de o bandeirinha que corre ao lado dos bancos pedir proteção policial com medo das cuspidas que se lhe enviam. Parece que todos já vem com o mesmo manual. Faz falta o Oscar Pires que, nessas situações, visitava o vestiário dos 'referees" para convence-los da inadequação de se impedir ataques juventinos, tanto no Templo da Javari e até mesmo no Pacaembu, Parque Antarctica e Morumbi.

    ResponderExcluir