domingo, 29 de março de 2015

Sobre quinze rodadas

Nas últimas palavras que escrevi aqui trouxe minhas reticências quanto a comissão técnica e elenco. Tínhamos nem começado o campeonato. Nada mais justo do que isso, haja visto a FPF do ano passado bem como as apostas que vinham sendo feitas.

Fato é que hoje somos líderes. A quatro rodadas do final da primeira fase, com quatro pontos de vantagem. Classificados. Time com mais vitórias, melhor ataque e melhor defesa em números, jogadores brigando por artilharia.

Uma tsunami de euforia por parte da mídia e simpatizantes. Um "vale-tudo" para ser notado.

Em nenhum momento tiro o mérito deles.

Rodrigo, mesmo com defeitos táticos da equipe, vem vencendo e merece o reconhecimento. Ainda precisa acertar a sintonia do meio-campo e coordenar melhor a linha de zaga, mas há tempo.

No time, mesmo questionando André Dias, por exemplo, é inegável que evoluiu de seis meses para cá. Ferro dá consistência ao setor. Léo é um dos três melhores jogadores do time no torneio. Sallinas precisa se acalmar, tem muito mais potencial do que está mostrando. Orinho é um talento, mas precisa de pés no chão por quem o cerca. Felipe Nunes e Derli sempre regulares. Adiel é a cadência. Daniel, o soneca que resolve. Gil não veio apenas para passear e se esforça. Nathan é o destaque do campeonato.

Ou seja, há valor até aqui. E muito.

Mas repito pela septagésima oitava vez: os seis jogos da segunda fase é o que vale de fato.

A euforia aqui é um sentimento liberado apenas para o exterior. Deve estar clara a blindagem do elenco contra qualquer oba-oba. Somos Juventus. Respeito e humildade no sangue. Até o fim. Até o acesso.

Eu acredito que conseguiremos.

Por enquanto, parabéns. Mas faltam dez jogos. E contando..

Abraços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário