sábado, 22 de outubro de 2011

La Masia - A fábrica de talentos catalã


"Sonhei que, em minha estreia, marquei o gol da vitória do Barça. Foi incrível." O relato é de um dos garotos que, literalmente, dormem a poucos metros do mítico gramado do Camp Nou. São 60 meninos, entre 13 e 19 anos, catalães em sua maioria, mas também andaluzes, brasileiros, latino-americanos e africanos. Os sonhos são apenas sonhos. Mas, a cada dia, lembram-se que dos mesmos dormitórios que hoje ocupam saíram craques como Messi, Xavi, Puyol, Iniesta, Fabregas, Pedro e Valdés.

Essa é a realidade da escolinha de futebol do Barcelona, conhecida como La Masia. A fábrica de talentos, situada em uma casa de pedra discreta nos fundos do Camp Nou, com uma história de 300 anos, durante os anos 50, foi usada como a residência de arquitetos e engenheiros que trabalharam na construção do estádio. Depois, passou a ser utilizada pelo clube como residência para jovens promessas do futebol.

Cerca de 500 jovens já passaram por La Masia, o berço do barcelonismo. Muitos nunca chegaram à Primeira Divisão do futebol espanhol. De acordo com estatísticas do clube, apenas 12% das promessas atuaram em pelo menos uma partida oficial. Mas o investimento mostrou que compensa.

"A filosofia Barça exige inteligência, boa técnica, rapidez, atitude e caráter. Para chegar a isso, o projeto é detalhado. No que se refere ao futebol, há quase duas leis fundamentais. A primeira é a de que o objetivo do jogo é marcar gols e, portanto, todos são incentivados a buscar um estilo ofensivo. Além disso, os mais jovens quase não treinam a parte física. Toda a concentração está em garantir o controle da bola e da técnica. O resto vem depois."

Muitos na Masia lembram que nem todos os craques de hoje tiveram momentos bons. Iniesta, por exemplo, foi trazido em 1996 do Albacete, com apenas 12 anos. Os funcionários mais velhos lembram que era sempre um problema quando deixado pelos seus pais de volta ao centro, depois de passar um fim de semana em casa. "Iniesta chorava muito e era sempre um drama o domingo pela noite", contou um funcionário. Messi, hoje o maior salário do Barcelona, chegou com 13 anos ao clube. Não dormia na La Masia, já que toda sua família decidiu se mudar de Rosário, na Argentina, para a cidade espanhola. No centro, Messi almoçava todos os dias e treinava, além de estudar. Todos se lembram: era muito introvertido e quase não falava.




Da antiga "La Masia", inaugurada em 1970, saíram 70 jogadores para o time principal do Barcelona, entre eles Lionel Messi, Pep Guardiola, Milla, Sergi, De la Peña, Reina, Víctor Valdés, Iniesta, Bojan, Xavi, Pedro e Thiago Alcântara. A diretoria do Barcelona inaugurou oficialmente nesta quinta-feira (20) a nova sede da "La Masia"

“É um dia histórico. Faltava nossa Masía, a joia da coroa. Acreditamos em nossos jogadores e nas pessoas que acreditam nos nossos valores”, disse o presidente Sandro Rossell.

Pep Guardiola calificó La inauguración de La nueva Masia como “um acto muy bonito y emotivo” y Le deseó “larga vida”

*Confira o vídeo de inauguração aqui.

No diário catalão Mundo Deportivo , a impressão dos analistas locais sobre a fábrica de talentos- artigo 1,  artigo 2






2 comentários:

  1. Belo post !

    Muito interessante esse trabalho da base.

    Mostrando que o Barça vai um pouco alé de "melhor time do mundo".

    ResponderExcluir