quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Arsenal Football Club - 125 anos



A Fundação
O Arsenal Football Club foi criado a partir da ideia de um grupo de trabalhadores da Woolwich Arsenal Armament Factory em 1886, que, por diversão, decidiram montar um time de futebol. O Clube a princípio não veio a chamar Arsenal, e sim Dial Square. A primeira partida foi realizada contra o Eastern Wanderers no dia 11 de dezembro de 1886, e o time recém criado venceu por 6 x 0, para a alegria dos trabalhadores da fábrica de armas. Pouco tempo depois o time mudou de nome e passou a se chamar Royal Arsenal, e continuou jogando campeonatos e copas amadoras até o ano de 1891, quando se profissionalizou. Então, em 1891, o time mudou de nome novamente, vindo a chamar Woolwich Arsenal, e conseguindo finalmente entrar para a segunda divisão inglesa, em 1893, alcançando a primeira divisão em 1904.


O Período de Glórias – a Era Chapman
Hebert Chapman chegou ao Arsenal em 1925 e em 1930 guiou os Gunners ao seu primeiro troféu, vencendo o Huddersfield Town na final da FA Cup. Na temporada seguinte, o Arsenal seria campeão Inglês pela primeira vez. Entre 1933 e 1935, ganhou o tricampeonato da liga, feito que só havia sido feito por quatro clubes de ponta. Chapman veio a falecer no meio dos anos de glória do time e acabou se tornando uma lenda para o Arsenal. Durante este período, teve alguns dos melhores jogadores da Inglaterra: Alex James, Ted Drake, David Jack, Eddie Hapgood e George Male.


2003/2004 – The Invencible Team
Um título da Premier League sem derrotas e uma temporada invicta por 49 jogos. Esse é o repertório de um time que se firmou na história do clube e do futebol inglês. Uma equipe incrível, um contra-ataque mortal. Time formado por David Seaman, Lauren, Campbell, Touré e Ashley Cole; Ljungberg, Vieira, Gilberto Siva e Pires; Dennis Bergkamp e Thierry Henry. No banco, ainda, Cesc Fabregas, Robin van Persie, Edu, Reyes, Kanu e Wiltord. Abaixo, reproduzimos um dos jogos mais marcantes da campanha, denominado pela imprensa inglesa como “Battle of Old Trafford".


“On September 21, 2003, Arsenal played rivals Manchester United at Old Trafford in what was regarded as a top of the table clash. Both teams occupied the top two places and won four out of their first five matches of the season, with Arsenal drawing at home to Portsmouth and Manchester United losing away to Southampton. The home side were without Paul Scholes due to injury, so Quinton Fortune remained in the center of midfield. Sir Alex Ferguson made only one notable change from his team's 0–2 win at Charlton Athletic; defender Mikaël Silvestre came in for Nicky Butt. Arsenal who lost to Internazionale four days previously brought in Ray Parlour and Freddie Ljungberg to add steel into the midfield as opposed to Robert Pirès and Sylvain Wiltord. Defender Sol Campbell was also a key absentee following the death of his father.
In a match that offered very few clear cut opportunities, Arsenal captain Patrick Vieira was sent off for an alleged kick on striker Ruud van Nistelrooy, reducing his team to ten men. An extraordinary set of events soon followed in stoppage time as referee Steve Bennett awarded a penalty to Manchester United after he deemed Martin Keown of denying Diego Forlán from scoring. Van Nistelrooy stepped forward to take the spot kick but smacked it against the crossbar in what was the final action of the game. The striker was confronted by a group of Arsenal players — Martin Keown, Lauren, Ray Parlour, Ashley Cole and Kolo Touré after the final whistle, with United players Ryan Giggs, Cristiano Ronaldo, Gary Neville, Mikaël Silvestre, Quinton Fortune and Rio Ferdinand stepping in to exacerbate the issue.”


Official website: http://www.arsenal.com/home


Um comentário:

  1. Que nostalgia bate quando vejo vídeos ou mesmo matérias sobre esse lendário time. O ano de 2004 ficou marcado quando ao ver um jogo desse maravilhoso elenco e em mim se iniciar uma louca paixão pelos Gunners...

    ResponderExcluir