segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Once a gooner always a gooner


Nem Orson Welles, Francis Ford Coppola ou Woody Allen escreveriam um roteiro tão mágico, incrível, indescritível. O retorno de Thierry Henry a camisa gunner e aos seus fãs apaixonados foi melhor que qualquer filme. A arte pode imitar a vida, mas nunca será tão imperfeita e surpreendente como ela é.

Aos 68 minutos, o francês, maior jogador da história do Arsenal, entrou para aos 79 marcar o 227º gol na sua brilhante trajetória gunner. A mesma categoria que deixou saudades na torcida por quase 5 anos. Não mais com a camisa 14 (12 agora). Tirando do goleiro, uma tacada de sinuca precisa, a vitória e a classificação.

Escrevo esse texto com mais de uma década torcendo para os gunners. Escrevo como quem idolatra Henry há tanto tempo quanto. Escrevo como quem chutava pro gol nas brincadeiras de sábado de manhã (ou na educação física) inspirado nesse mito.

Temos o prazer de acompanhar o surgimento de um legend, Robin van Persie. Agora teremos o prazer de ver o maior legend dessa história por dois meses: Thierry Henry.





Nenhum comentário:

Postar um comentário