sexta-feira, 2 de março de 2012

Empates decepcionam em Guarulhos e na Casa Nostra

A correria da 1ª semana de Poli implica que nosso diário, onde toda nossa saga é contada, ficou um tempo parado. Para compensar tal deslize, impredoável, seguem dois capítulos inéditos: a viagem a Guarulhos e a quarta-feira decepcionante contra a Inter de Limeira.

Em Guarulhos...
26/02, domingo. Um sol desgramado, que deixou as consequências do decepcionante jogo contra o Flamengo impregnadas na minha pele - literalmente. A viagem pela Dutra foi tranquila; no entanto, perder a entrada correta deixou os visitantes aqui um pouco tensos. Pergunta daqui, pergunta de lá, encontramos o caminho do estádio do "menguinho". A simpática construção, mantida pela prefeitura local, me surpreendeu - esperava um instalações ruins, um campo horrível, mas pequei pelo pré-conceito. O jogo, por sua vez, se desenhou fácil para o Juventus; logo nos primeiros minutos a superioridade tática e técnica era evidente. Num 4-2-1-3, Ferreira explorou a ausência do meia criativo e apelou para a velocidade dos pontas Renato e Thiaguinho. Os gols saíram rápido, com o camisa 7 (Thiaguinho) e o estreante da manhã, o volante Geovani num belo chute. A boa atuação também era da dupla de volantes e do lateral Pavone, muito seguro defensivamente. Após os 30' a 35', porém, a equipe pregou e apenas administrou a peleja. Na volta do intervalo, com a entrada de Romarinho, o esquema mudou para um 4-3-1-2, buscando o contra-ataque perfeito - e ele veio, três vezes, e três oportunidades desperdiçadas por Roberto Santos (camisa 9) e Romarinho (duas vezes). Com a expulsão de Xavier e já desgastado (evidente na pífia bola perdida por Marcus Vinícius, o 10) começou a pressão do fraquíssimo time rubronegro, que na garra buscou o empate aos 48' da segunda etapa. Resultado ruim para o Moleque que teve a oportunidade de fazer 5 a 0, mas foi displicente e entregou o jogo para o time da casa.



Na Javari...
29/02, Quarta. Na "Casa Nostra" vitória é obrigação. E ponto final. Mesmo com um time misto (eram quatro desfalques - Xavier, Saulo, Élvis e Douglas - e dois por opção do treinador - Maraial e Fubá) o Juventus tinha condições de buscar a vitória. O sol novamente castigando a tarde paulistana pode também ter sido a causa de um time tão preguiçoso como o que acabou empatando com a Inter de Limeira por 1 a 1. Na estreia de Romerito e de Roni, pouco mais de 400 pagantes se decepcionaram com o atuação sofrível da equipe, que só melhorou após sofrer o gol inicial e com a entrada de Tony na sequência; melhora que foi passageira, haja visto que em pouco mais de 10 minutos o time pregou pelo segundo jogo seguido. Romerito, por sua vez, teve atuação discreta, jogando em 3 posições diferentes durante a peleja e com destaque para o passe de calcanhar para Thiaguinho sofrer falta ainda na primeira etapa. Thiaguinho que marcou o único tento grená, de penalti, que gerou a expulsão do defensor adversário. Jogo chato, sem grandes emoções, no qual Ferreira apelou para o esquema 4-2-1-3 (que obteve sucesso no primeiro tempo em Guarulhos) até sofrer o gol, quando a tática deu lugar ao desespero. Nenhuma boa lição para os próximos jogos foi a moral da partida desta última quarta.


O próximo jogo é amanhã, na Javari, às 10 horas. (Transmissão Rede Vida) #ForzaJuve


Saudações juventinas

Nenhum comentário:

Postar um comentário