domingo, 1 de setembro de 2013

Momento de oscilação

Domingo, 01 de setembro. Um duelo que já está se tornando recorrente na vida juventina. O Juventus tentava retomar o ritmo das vitórias em casa e o Audax pretendia estragar a nossa festa e arrancar a liderança. E conseguiu.

O time entrou em campo repetindo a escalação dos jogos anteriores, salvo a ausência (mais do que sentida) do lateral Lucas Pavone. Em seu lugar, Wanderson, que estreou, fez apática partida e deixou o lado esquerdo de ataque e defesa muito carente, sem cobertura e sem nada. E também prejudicando ainda mais a fraca atuação do irregular Fernandinho.

O primeiro tempo foi equilibrado, dividido entre momentos de muito toque de bola do mercadinho a brilhantes participações de Pedro Rocha e Castori, os dois melhores do time hoje.

Novamente o time grená saiu atrás no placar; não houve paciência de manter a  marcação por muito tempo e numa bola cruzada a defesa foi ultrapassada. Sem se abater, o moleque foi para cima, arriscou jogadas e conseguiu logo o empate, em cobrança de falta do camisa 10, Rafael Castori.

A volta para a segunda etapa foi um caos. Celinho sacou Paulo Henrique e colocou Eduardo, que entrou muito mal. A equipe recuou e deixou o time do Audax ganhar espaço e trocar passes no último terço do campo. Logo saíram os 2 gols, que deram o 1 a 3. Mesmo não tendo sido penalti, difícil imaginar que se seguraria a pressão por mais tempo, já que a equipe era dominada pelo adversário.

Mal tática e tecnicamente, Celinho arriscou com Catita; mas o meia nem teve tempo de buscar jogadas com Castori, que breve também saiu. Em seu lugar, Renato, que com pouco tempo em campo nada pode fazer a não ser uma tentativa de finalização. Em todo o segundo tempo, porém, foi Pedro a única e grande alternativa, tentando bons lances mas sem finalizações.

[Curta nossa página no facebook: https://www.facebook.com/blogbolapromato]

Vamos às considerações... respeito demais o trabalho de Celinho, mas hoje ele errou bastante. Em primeiro, Wanderson não deveria ter jogado, estava sem ritmo e desconfortável; a melhor alternativa seria Fernandinho na lateral e talvez Catita no time, mantendo o esquema tático. Em segundo, Eduardo claramente chamaria o Audax para o ataque; Romarinho poderia ter sido deslocado e Jader entrado na lateral, ou mesmo Raikard no meio, recuando Castori ou Branco; em terceiro, a demora para colocar Renato, que entra sempre sem ritmo algum em campo. Por último, a troca incessante de passes do Audax não é desculpa; se é o jeito deles, dane-se: o Juventus deve pegar a pelota pra si e também tocá-la, ou seja, tirar a bola do pé deles.

A oscilação é natural para um time médio de vinte e poucos anos. Por isso é hora de parar e pensar. Talvez seja hora de variar o tático, rodar o elenco com novas opções, de qualquer forma alterar o esquema que vem sendo facilmente encaixado pelos adversários e voltar a boas atuações.

Enfim, com a derrota - a primeira na Javari - caímos para terceiro, com 17 pontos em 9 jogos, ainda em zona confortável para a classificação. O trabalho é bom sim, mas não custa acender o sinal amarelo.

Próximo jogo é contra o Santo André, fora de casa, na próxima quarta. #ForzaJuve

Saudações juventinas!

2 comentários:

  1. Time fraco, técnico sem comando, diretor uma piada, parecendo um papagaio de pirata na tribuna de honra, olhando os grupos que se formam na arquibancada, para ir puxar o saco e tentar se manter no cargo, mesmo sabendo nada de futebol e um presidente inepto, essa é a nossa realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra entender e debater seu comentário preciso que escreva seu nome; conversar com "anônimos" é complicado.

      Excluir