quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Sorriso!

Quarta-feira, 25 de setembro. Daquelas quartas com chuva fraca, frias, com pouca gente na Javari. Sinal de que uma memória boa ficará deste dia...

Buscando a reabilitação, após revés na primeira rodada, o Juventus foi para o clássico grená contra a Ferroviária pensando apenas na vitória.

Sem o melhor atacante do time, Pedro Rocha, a impertinência deste blog e dos demais amigos de blogs e rádio se fez ouvida. A estrela de um predestinado brilharia novamente. É ditado, vox populi vox dei.

Num primeiro tempo sem grande expressão, o 0 a 0 se arrastou por longos 45'.

A experiência com Raikard no comando do ataque novamente caiu por terra. Por outro lado, a dupla de volantes com Maurício e Arthur funcionou muito bem, protegendo a zaga. Esta que teve outra atuação de alto nível, comandada por Carvalho e Sallinas, um dos melhores em campo. A baixa de Castori, ainda no primeiro tempo, promoveu a estreia do garoto Paulo Vitor. Habilidoso e incisivo, não foi hoje porém sombra do que mostra em treinos ou mostrou na categoria sub-20.

Para a segunda etapa, Celinho tentou Santiago no lugar de Raikard. Mudança de estilo com a boa entrada do atacante vindo da várzea. Do batido 4-2-3-1, um 4-4-2, com o recém-entrado ao lado de Renato. Alimentados por Branco e Paulo Vitor, a imprecisão  deles no último passe trancava as chances de gol.

Por volta dos 20', o treinador colocou Romarinho no lugar do apático meia. Colocou foi é fogo no jogo. A cria juventina entrou com sangue nos olhos, inseriu velocidade e passe preciso ao time. Decisivo.

E Romarinho, aos 35', achou o passe. Lindo, de perna direita, no segundo pau. Renato, esperto, fechou na diagonal e, babando, cabeçou pro fundo das redes.

Predestinado, Renato, estrela, sorriso! Explodem os quase 400 felizardos de estarem na Javari nesta tarde.

Sorriso! (Ale Vianna/Juventus)
Se a cera era da Ferroviária até os 35', papéis invertidos. Ganhar tempo, cozinhar o jogo, evitar o anti-clímax. Jogo até os 51' e apito final.

Às vezes um 1 a 0 tão suado vale mais que uma goleada. E hoje o sentimento é esse. Coisa linda, que vitória.

Raça e vibração verdadeiras no pós-jogo pra encerrar o fim de tarde vitorioso. "... foi nada demais não, vocês do lado de fora passam pra nós jogadores este espírito de luta, de entrega. Como vocês dizem, é Juve ou nada!"

Muito precisa melhorar. Achar um meia, encaixar os jogadores de flanco, entender se Pedro e Renato encaixarão ou não juntos nas próximas partidas. Problema bom pro Celinho.

Neste jogo, aproveito pra agradecer a Web Radio Mooca por mais uma oportunidade de comentar um jogo. E ao companheiros de transmissão, Corona e Guizão, que deixaram a tarefa mais fácil. Comemorar um jogo desse apertado na cabine não é o melhor dos cenários, mas é outro fator que deixa este dia mais legal.

Bom, com todos no grupo com 3 pontos, competição começa de novo. E a próxima parada, decisiva, é contra o Ituano, domingo, às 10h. Lá na Javari! #ForzaJuve

Saudações juventinas! 

5 comentários:

  1. Parabens ,
    Guerreiros Juventinos. Claro seria muito bom jogar bonito e vencer,mas nem sempre conseguimos aliar as duas coisa.
    As vezes temos que joga feio e vencer.
    Abs. Estamos em Chapeco sc torcendo pelo nosso moleque travesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É do jogo. Vencer, lutar é agora o mais importante. Estamos todos unidos por esse objetivo e contamos com a força de vocês ai em Chapecó. Maurício lutou bastante nesse jogo, protegeu demais a defesa. Abraços!

      Excluir
  2. SINTO MUITO, MAS O RAIKARD NÃO DÁ MAIS. ÓTIMA ENTRADA DO BRUNO SANTIAGO, QUE JÁ JOGARA BEM, MAS POUCO TEMPO, EM SÃO CAETANO.

    E O RENATO SEMPRE APARECENDO NOS MOMENTOS DECISIVOS. ESPERO QUE FORME DUPLA COM O PEDRO ROCHA.

    OTAVIO LIBERDADE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Santiago deu energia e mobilidade principalmente, coisas que não tínhamos com Raikard. E Renato.. decide. Até domingo!

      Excluir