quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Segunda derrota no campeonato: 3 pra trás perde o taco

O Juventus foi até Limeira, na quarta-feira (12/02) para o confronto diante do Independete no aconchegante e simpático “Pradão”.

O Moleque veio a campo na seguinte escalação: André Dias; Maurício Carvalho, Léo Fioravanti (Sasá), Cícero; Rafael Branco, Ricardinho, Netinho, Jhonatan Da Silva (Diego Maranhão), Fernando Rossi; Fernandinho, Dudu Mineiro.

Serginho optou por um 3-5-2 onde os alas Rafael Branco e Fernando Rossi compunham uma linha de 5 jogadores quando a equipe estava sem a bola. Com a posse da redonda, o Juventus tentava jogar pelo meio campo e “lançamentos” (leia-se chutões para frente sem saber se tem alguém pra receber a bola), o que acabou deixando a equipe juventina sem muitas boas chances de gol. Nessas poucas boas chances, Fernando Rossi acabou fazendo um gol, porém impedido. Parece que bem anulado.

Com Dudu Mineiro isolado na frente, a bola pouco chegava no nosso camisa 9. Teve poucas chances, porém efetivas. Ele até sofreu penalti não marcado a favor do Juventus.

Início de segundo tempo e...gol do Independente de Limeira. Em um escanteio, a bola passou por toda a área e em uma falha de marcação do zagueiro Cícero, o centroavante Dairo ficou livre para marcar o seu primeiro gol na partida. 1x0 no placar.

Depois de 20 minutos com poucas chances, Serginho “ousou” em tirar o zagueiro Leo e botar o atacante Sasá. Naturalmente o time do Juventus foi pra cima e conseguiu algumas boas chances desperdiçadas, iguais as dos últimos jogos. Eis que o juíz caseiro resolveu marcar um penalti claríssimo (ou no mínimo para compensar a penalidade não marcada anteriormente) para a equipe grená. 1x1. Gol de Jhonatas, que apesar do gol, foi mal mais uma vez e se escondia atrás da marcação rival o tempo todo.

O empate parecia de bom tamanho para nosso tecnico e imediatamente após o gol, sacou o meia Jhonatan e botou o lateral/volante Diego Maranhão, que até entrou ligado na partida e acertou alguns bons passes, mas nada de mais. Foi adotada então pelo time a postura de toque de bola defensiva.

E não podia ser diferente. Depois de 5 minutos apostando na posse de bola defensiva para preservar o empate fora de casa, o goleiro André Dias acabou chutando a bola para a lateral do campo devido a uma marcação um pouco mais forte dos atacantes do Galo de Limeira. No lance do lateral, em uma bola que o goleiro tem que decidir rapidamente se fica dentro do gol e um zagueiro vai pro combate ou se sai no pé do atacante para abafar,  André foi e não foi, ficou no meio do caminho deixando o gol livre para Dario marcar o seu segundo gol e decretar o placar final da partida. 2x1.

Aos 90 minutos Dudu Mineiro acertou uma cotovelada na cara de um adversário e foi corretamente expulso de campo. Devido a essa expulsão desencadeou uma briga generalizada na comissão técnica do Independente. Técnico e Massagista foram expulsos pelo árbrito e precisou do policiamento para que fossem retirados de campo.

Resumo da ópera: Claramente os jogadores estavam perdidos em campo pelo esquema tático pouco ou não treinado por eles. O 3-5-2 é uma boa forma de jogar, mas quando se está bem treinado. Não é só acordar um dia e dizer: vou jogar com 3 zagueiros e pronto!
Ao contrário das outras partidas em que o resultado não veio, mas se via aquela vontade de correr atrás, nesse jogo se viu uma certa acomodação dos jogadores. Pode até ser pela não ambientação tática, mas não justifica a falta de vontade.

Jogadores que tentaram buscar alguma coisa: Leo Fioravanti, Dudu Mineiro, Rafael Branco e Fernandinho. Desses o único que foi bem foi o centroavante.


Domingo tem jogo na Rua Javari contra o Santacruzense. 10h da manhã.  Se o Moleque não ganhar será a quarta partida em cinco sem vitórias. Situação mais que delicada.

#FORZAJUVE

Um comentário:

  1. Perfeito o relato, enfim um que retratou o jogo como ele realmente foi sem tentativas de manipulação, sem falsas euforias e etc. Parabéns

    ResponderExcluir